Tempo de Leitura: 2 minutos

 

No NOB, a Dra. Fabiane é nossa especialista em Dores Orofaciais e Disfunções Têmporo-Mandibulares e inicialmente vai diagnosticar o problema e sua origem através de anamnese detalhada, exame clínico análise de imagens.

Essas dores e disfunções clínicas se referem a um conjunto de condições odontológicas e médicas de diversas intensidades, geralmente progressivas, podem se manifestar como dores na região da face, da nuca, do pescoço e do ombro ou até da cabeça inteira. Afetam geralmente:

– A articulação Temporo-mandibular (ATM) – localizada na frente do ouvido;

– Os músculos da mastigação e seus ligamentos –

           — As DTM podem estar associadas a distúrbios do sono.

           — Diagnóstico por imagem é importante para diferenciar tumores e processos degenerativos (Artroses).

 

Como se Manifestam ?

– Estalo articular – clique ou ruído ao abrir ou fechar a boca e mastigar;
– Desconforto moderado na frente dos ouvidos;
– Completo bloqueio do movimento da mandíbula;
– Dor severa ao mastigar, deglutir e falar;
– Desconforto na região do pescoço;
– Dores de cabeça;
– Mordida incômoda, “fora de lugar” ou como se estivesse mudando continuamente;
– Sintomas nos ouvidos: dor de ouvido, vertigem, zumbido, ouvido tampado ou surdez momentânea.

Como funciona essa articulação tão complexa.

Nas ATM temos um disco articular similar ao menisco do joelho, posicionado junto à cabeça da mandíbula (maxilar inferior) e age como um amortecedor. Quando intactas, são as únicas articulações no corpo humano que trabalham juntas (bilateralmente), como uma unidade. Elas têm ainda a complexidade mecânica de articulações como do pulso e do fémur, por permitirem movimentos em vários planos do espaço, incluindo rotações. Estas articulações nos permitem executar funções de abrir e fechar a boca, mastigar, deglutir, respirar e falar. Quando a articulação têmporomandibular sofre cargas excessivas, agudas ou crônicas pode desenvolver diversas lesões.