Carregando ...

Implantes Dentais

Implantes Osseointegrados. O que são?

São fixações colocadas nos maxilares criando uma fundação sobre a qual se substituem dentes ausentes.


De fato, os implantes correspondem a raízes dentais artificiais. Na década de 1950, o cientista sueco Branemark, descobriu a osseointegração, fenômeno biológico de união absoluta entre o osso e o titânio, metal resistente e leve. apartir daí, houve um grande avanço cinetífico nessa área da odontologia e hoje os implnates são usados em todo o mundodesenvolvido com a melhor solução para a reposição de dentes perdidos por quaisquer razões e em qualquer área da boca.


 Tipos de Reabilitação com Implantes


Implantes Unitários


São usados para corrigir ausência de um único dente, tornando desnecessário o desgaste de dentes sadios e tratamento de canal para realizar uma prótese fixa convencional (ponte fixa).

 

Reconstruções Parciais


Como opção em situações onde há falta de dois ou mais dentes e estaria indicado, como prótese convencional, a prótese parcial removível (roach), com suas inconveniências de estética e conforto.


 Reconstruções Totais



Para pacientes que precisam usar ou já usam prótese total removível (dentadura). Nesse caso os implantes têm suas maiores vantagens, pois através deles é posível voltar a ter um sorriso bonito, uma mastigação adequada e acima de tudo, a segurança no convívio social e às refeições.

Podem ser realizadas com 2, 3 4 ou mais implantes.

 

Comparativo entre próteses

Aspectos biomecânicos:



Microscopia de implantes:

Quem pode usar um implante?


Qualquer pessoa com uma boa condição de saúde pode ser candidato a reposição de dentes ausentes. O paciente precisa ter quantidade de osso disponível no lugar onde o dente foi perdido, de modo que este osso possa suportar o implante. Existem condições onde poderá haver a reposição de todos os dentes superiores e inferiores. Pode-se dizer que a quantidade de implantes depende de cada caso, sendo executados implantes unitários ou múltiplos.


Quais são os benefícios dos implantes dentais?


O benefício imediato é na melhora instantânea da capacidade de trituração dos alimentos, ou seja, ocorre o restabelecimento da função do sistema mastigatório. De fato tem sido mostrado que as pessoas com dentaduras mastigam com somente 20% da força mastigatória total, enquanto que, pessoas com implantes podem mastigar com 95% da força total de sua capacidade de mastigação. Nos casos de defeitos estéticos, com perda de um ou alguns dentes, o ganho com a reposição dos dentes melhora até a auto-estima dos pacientes.


Quais outros benefícios estão associados com os implantes dentais?


Um benefício muito grande está associado com a estabilidade das próteses dentárias. Um problema comum em quem usa dentaduras é a falta de estabilidade, particularmente das próteses inferiores. Elas ficam equilibradas entre a língua, os músculos e os lábios. A insegurança resultante da perda dos dentes naturais pode ser eliminada utilizando os implantes dentários.


No caso das perdas dentárias unitárias, a escolha pelo implante é a opção mais adequada pois, dessa forma, evita-se a destruição das coroas dentárias dos dentes vizinhos para se realizar uma ponte fixa, que é a segunda opção para reposição de dentes ausentes unitários.


Existem mudanças estéticas com os implantes dentais?


A perda dos dentes também pode produzir mudanças faciais levando ao envelhecimento precoce. Com os implantes colocados o mais breve possível após a extração dentária, evita-se a perda precoce de osso dos maxilares. Qualquer pessoa que usa dentaduras sabe o quanto os dentes são importantes. A gengiva e o osso alveolar servem como suporte dos lábios e das bochechas e da parte inferior da face. A perda dessas importantes estruturas dá a pessoa uma aparência de envelhecimento prematuro e isto em muitas pessoas causa angústia e perda da auto estima. As próteses implanto suportadas podem retardar o processo de envelhecimento e melhorar a auto- estima. Os benefícios funcionais são óbvios, mas para muitas pessoas, os benefícios estéticos e emocionais são mais importantes, podendo motivá-las à busca da estética e da função mastigatória.


Qual a taxa de sucesso dos implantes?


A taxa de sucesso dos implantes varia entre 90% a 100% dependendo da localização e da qualidade do osso onde o implante é colocado e da correta indicação do mesmo.


Qual o profissional indicado para realizar os implantes dentais?


Procure se informar antes de realizar os implantes dentais. Nem todo paciente é candidato a receber implantes. A correta indicação aumenta o percentual de sucesso de cada caso. Existem diversas opções de tratamento e, somente o profissional bem treinado está qualificado para definir qual o melhor modelo de tratamento. Além disso, pesquise com cuidado e calma. O procedimento cirúrgico para instalação do implante dentário não é uma cirurgia de urgência e, portanto, deve ser feito com um planejamento exaustivo antes de realizá-la.


Por que os implantes dentais se tornaram tão populares?


Com o aumento da expectativa de vida, a necessidade de algum tipo de prótese qualificada se tornou muito importante para a nossa saúde geral. Dentaduras convencionais e próteses parciais removíveis têm problemas óbvios: elas são instáveis e causam desconforto, além não evitar a perda óssea lenta e contínua. Com a instalação dos implantes, ocorre uma ativação do osso e isto impede a perda óssea e aumenta a estabilidade das próteses proporcionando um resultado estético e funcional extremamente agradável.


Qual o tempo entre a cirurgia do implante e instalação do Dente?


O protocolo que foi originalmente desenvolvido diz claramente que nós devemos esperar entre três e quatro meses para implantes colocados na mandíbula (na parte de baixo) e quatro a seis meses na maxila (na parte de cima). Mais recentemente, pesquisas têm sido feitas com a finalidade de diminuir o tempo de espera para a instalação da prótese e novas tecnologia permitem até que os dentes sejam instalados juntamente com os implantes. A isso se denomina carga imediata.


Existe Dor na Instalação dos Implantes?


Atualmente, os procedimentos cirúrgicos para instalação de implantes são feitos sob anestesia local e inalatória. Em alguns casos, além disso pode-se também usar a Sedação Venosa, realizada por um médico anestesista, juntamente com o dentista. Quando a anestesia passa, mais ou menos três ou quatro horas depois, pode haver algum desconforto. O desconforto não é dor e sim uma condição especial sob circunstâncias de um pós-operatório (Inchaço e pontos na boca). O nível do desconforto difere bastante de paciente para paciente, mas a maioria dos pacientes não se queixa pois, o período de recuperação é muito curto. Para que tudo transcorra de uma forma tranqüila e com sucesso, é óbvio que os cuidados pré e pós-operatórios são peças imprescindíveis, tais como: a técnica cirúrgica correta, o material do implante de boa qualidade e a medicação adequada.


O que acontece se houver rejeição dos implantes?


Ocasionalmente alguns implantes fracassam e algumas pessoas dizem que houve rejeição, sendo que o que ocorre, de fato, é uma não-integração óssea. Na maioria dos casos pode ser colocado um novo implante no mesmo local. Entretanto, antes de se programar um novo implante é importante detectar a causa do insucesso para que ele não ocorra novamente. Quando bem planejado, a taxa de fracasso dos implantes varia entre 1 a 2% dos casos.


Eu tenho que ficar sem dentes enquanto os implantes cicatrizam?


Novamente, o protocolo original pede aos pacientes que fiquem sem suas próteses por mais ou menos duas semanas após os implantes serem instalados. Através dos anos isto tem sido modificado consideravelmente e, em muitas situações, os pacientes têm saído do consultório com suas próteses no dia em que o implante é colocado. Cada paciente e cada procedimento é avaliado separadamente. Pode acontecer que, por recomendação profissional, o paciente fique sem suas próteses por um período curto de tempo.


O que é Enxerto Ósseo?


Na concepção moderna dos implantes dentários, estes são inseridos dentro do osso alveolar, na chamada osseointegração. Dessa forma, é importante ter osso para a instalação do implante. Na maioria das perdas dentárias, ocorre algum tipo de perda óssea associada. E, para repor esta perda existem as cirurgias de reposição óssea ou cirurgia dos Enxertos Ósseos.


Enxerto ósseo é um procedimento muito comum hoje em implantodontia e na periodontia. Com a finalidade de realizar enxerto ósseo, há a necessidade de uma área doadora para coletar osso e posicionar no lugar necessário (área receptora). Existem 03 principais origens deste osso: de banco de ossos humanos (cadáver), de animais (bovino) e do próprio paciente (autógeno). O melhor osso é aquele removido do próprio paciente, por ter a menor chance de rejeição e a melhor cicatrização. Este osso pode ser removido da própria área cirúrgica do implante ou de outras áreas da boca. Em situações onde a quantidade de osso necessária para reposição é muito grande, a boca não consegue ceder, tendo que se utilizar de área doadora extrabucal (crista ilíaca – “bacia”; calota craniana – “cabeça” e outras) sendo, portanto, necessária a internação hospitalar e a ajuda de um médico anestesista e um ortopedista.


Qual o custo dos implantes dentários?


Em muitos casos os implantes são cobrados de acordo com o número de parafusos instalados e do padrão das próteses conectadas. Existem diversas marcas e modelos de implantes para cada situação clínica. Isto quer dizer que um mesmo paciente poderá receber implantes com preços diferentes dependendo de cada área da boca e de cada condição do osso remanescente, além da exigência estética da região. Os implantodontistas, entretanto, têm entendido que em uma reabilitação oclusal, o preço, na verdade, tende a depender da complexidade do caso e não somente do número de implantes instalados. Evidentemente, o custo final dependerá diretamente de decisões do paciente e do profissional. O especialista decidirá sobre qual o modelo adequado de implante e de prótese, baseado na condição clínica atual do paciente e na expectativa de sucesso de cada alternativa terapêutica.


No futuro, a implantodontia será incorporada à pratica diária no consultório odontológico e isto contribuirá na baixa dos custos.


Quanto tempo duram os implantes? Esta é uma pergunta que é difícil a resposta para qualquer área da saúde. Veja alguns exemplos: Quanto tempo dura uma cirurgia plástica? Quanto tempo dura um transplante? Quanto tempo dura uma restauração odontológica? É com esta mesma dificuldade que o implantodontista enfrenta para responder a esta pergunta.


Em linhas gerais, pode-se dizer daquilo que já foi realizado e, portanto, fazer previsões sobre os casos realizados, entretanto, para aquele paciente, especificamente, dependerá de diversos fatores locais e gerais, além dos fatores comportamentais e herdados geneticamente.


O primeiro implante osseointegrável colocado pelo Dr. Bränemark está em função ainda hoje (45 anos em 2010). A perda óssea em volta dos implantes, descrita na literatura, é de 0.1mm por ano. Portanto, conceitualmente falando, um implante de 12mm de comprimento pode ficar em função por 40 anos. Esta estimativa conservadora não leva em consideração o avanço que a ciência da implantodontia e da ortopedia vem alcançando. Portanto, o tempo de permanência de uma prótese apoiada em um implante dependerá de diversos fatores bastante específicos para cada paciente.


Implantes com tecnologia mais moderna alcançam taxas de perda óssea até 10x menores que os implantes inicialmente concebidos.